Um novo olhar: A Palestina apresentada por Joe Sacco

Apesar da questão em torno do assunto Israel e Palestina ser um assunto antigo, aconteceu um novo episódio na história do Oriente Médio. No dia 07 de outubro do ano passado, olhares midiáticos ocidentais voltaram-se, mais uma vez, para judeus e palestinos. Sentindo a necessidade de um olhar profundo sobre a questão, na década de noventa, um jornalista resolveu aventurar-se naquele imbróglio e trouxe, por meio de uma combinação entre HQ e reportagem, perspectivas humanizadas sobre um confronto desigual.

Um ano antes da assinatura do Acordo de Oslo, Joe Sacco, jornalista maltês radicado nos Estados Unidos, decidiu passar dois meses em territórios palestinos sob a ocupação israelense, desenhando e entrevistando palestinos. Sacco argumenta numa entrevista cedida à Folha de São Paulo, que, antes da experiência em campos de refugiados na Palestina, ele “tinha os mesmos preconceitos que todo mundo tem, achava que palestinos eram terroristas.”

Leia também: Por que ler literatura palestina?

“Tive de viajar para lá porque estudei jornalismo, me achava uma pessoa relativamente inteligente, mas percebi que fui manipulado a acreditar em certa coisa.”

O autor, inclusive, recebeu críticas por retratar na HQ, com mais foco, o lado palestino, porém, em sua perspectiva, a mídia tende a concentrar-se, com disparidade a concepção israelense. Dessa forma, na obra de Sacco, histórias não contadas pelo ocidente ganham formas.

As entrevistas foram feitas com crianças, mulheres, homens e idosos, sempre regadas a chá, em algum lar, sendo que, em alguns lugares, havia toque de recolher. Muitos perderam suas casas: oliveiras centenárias cujo azeite era o sustento econômico da família; mães que tiveram seus filhos assassinados; outros narram prisões e torturas; economia sucateada; pobreza extrema e ruas enlameadas. O mais curioso era que ninguém sabia o motivo de tanta desgraça, caso os colonos desejassem, eles destruiriam a casa sem explicação.

A HQ é, de fato, um bom material para quem quer iniciar os estudos no que se refere aos acontecimentos no Oriente Médio. Além disso, Sacco incentiva o leitor a reavaliar sua compreensão acerca da Palestina, proporcionando uma perspectiva direta do cenário daqueles que vivem sob ocupação israelense.

Compre o livro aqui!

Related posts

“Mar aberto”, de Caleb Azumah Nelson, provoca o protagonismo branco em histórias sobre sensibilidade, traumas e amor

“Puro”, de Nara Vidal: um passado eugenista que volta à tona das sombras da história brasileira

Os mistérios de “Rebecca”, a personagem ausente de Daphne Du Maurier

4 comentários

Bias Busquet Guimarães 12 de junho de 2024 - 14:20
Texto muito bom!
Daniel Andrade Torres 12 de junho de 2024 - 15:40
O livro, certamente, é muito esclarecedor! A apresentação do livro está excelente!
Mopus 12 de junho de 2024 - 16:53
Acabei me interessando pela obra. Vou adquiri-la.
Luciana De Queiroz Pinto 12 de junho de 2024 - 17:00
Excelente observação para um assunto tão complexo.
Add Comment