“Florilégio”: espetáculo do Grupo Pombas se inspira no verbo “esperançar” de Paulo Freire

Impulsionado pelo verbo “esperançar” de Paulo Freire e inspirado nas histórias de vida dos integrantes do grupo Pombas Urbanas e de outros moradores do bairro Cidade Tiradentes, o espetáculo convida o público a uma viagem esperançosa ao futuro, refletindo sobre como a luta coletiva pode fortalecer as comunidades.

O espetáculo “Florilégio” mostra o quão potente pode ser a luta e a transformação de um ser, ressaltando que, apesar dos desafios em nossa existência, ainda podemos acreditar mais na sabedoria da vida, buscando soluções para os momentos de crise com sensatez.

Através do projeto “Pombas Urbanas: comunidade nas comunidades”contemplado no edital PROAC Teatro/Circulação de Espetáculo, o grupo realizará apresentações seguidas de um workshop sobre teatro comunitário, difundindo a linguagem teatral e promovendo a troca de saberes e histórias com comunidades do interior paulista.

Leia também: “Gagá”: texto de Marcelo Romagnoli celebra o lúdico, o impalpável e a singeleza do teatro

Criado e consolidado na periferia, o Grupo Pombas Urbanas foi um dos precursores da produção do teatro comunitário e teatro de rua em São Paulo. Reconhecido entre os grupos mais longevos da cidade, o coletivo possui 34 anos de trabalho artístico, caracterizado pelo teatro comunitário: criado, produzido e feito para, com e na comunidade. 

Seguindo o mesmo direcionamento, o espetáculo “Florilégio”, sua mais recente produção, traz à cena as vozes e histórias de vida de integrantes do grupo e de moradoras e moradores do bairro Cidade Tiradentes, localizado na periferia da Zona Leste da capital e região de atuação do coletivo. Uma reflexão sobre as condições e relações humanas neste território, visibilizando as dores e violências que assolam esta comunidade, mas também a força das relações comunitárias, capazes de transformar vidas e realidades.

A montagem nasceu a partir do diálogo com muitas vozes de ontem e de hoje, na busca por poetizar o cotidiano, mas também ultrapassar diversos tipos de opressões tantas vezes impostas. 

“Tratamos sobre o acender dos vagalumes em meio a escuridão, que logo atraem outros vagalumes para brilharem juntos e em sintonia. A resistência necessária para viver (inspirado no filósofo Didi-Huberman). Se olharmos para os vagalumes com o olhar que tínhamos na infância podemos encarar a vida de outra maneira, para compreender que não estamos sozinhos. Existe sempre uma luz no fim do túnel, apesar dos desafios em nossa existência”, explica a diretora Vanéssia Gomes

Propondo um espaço de resgate da memória e da identidade, este projeto tem a  intenção de conectar as narrativas de uma comunidade popular da capital às comunidades populares do interior. 

Informações: www.facebook.com/GrupoPombasUrbanas e www.instagram.com/grupopombasurbanas

Ficha Técnica – Direção: Vanéssia Gomes. Elenco: Paloma Natacia, Adriano Mauriz, Marcelo Palmares, Paulo Carvalho, Ricardo Big e Giovani Di Ganzá. Figurino: Juliana Naju. Cenário: Marcelo Larréa e Débora Gomes Silvério. Trilha sonora: Giovani Di Ganzá. Músicos: Giovani Di Ganzá, Rebeca Gomes da Silva (Reblack), Rafael de Barros Música Guerreiro: Mestra Margarida, Guerreiras Santa Joana D`arc. Designer Gráfico: Francis Lima e Matheus Botosso. Fotografia: Ricardo Avellar. Iluminação: Fernando Alves. Vídeo: Vibrante Filmes. Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini. Produção: Grupo Pombas Urbanas, Karina Nadaletto e Andrea Mauriz. 

Serviço: Espetáculo “Florilégio” 

Com Grupo Pombas Urbanas

Sinopse: O espetáculo parte do território do real, ancestral e dos sonhos, em um espaço/tempo que nos aproxima de pessoas e histórias. Entre poesias, músicas, danças, lutas, mas também entre encontros e desencontros próprios de nosso tempo, transita por narrativas que envolvem a construção de uma comunidade, construindo uma tessitura em torno dos sentidos do esperançar, inspiração vinda do educador Paulo Freire. Duração: 60 minutos

Grátis – Classificação Livre

Quando: 14 de junho de 2024 (sexta-feira) – Horário: 18h

Onde: Quilombo Porto Velho – Associação dos Remanescentes de Quilombo do Bairro Porto Velho  –  Cozinha Comunitária – Endereço: Ramal do Bairro Fazenda do Município de Itaoca ao Bairro Anta Gorda, S/N Km 04 do Bairro Anta Gorda – Iporanga  – SP

Quando: 15 de junho de 2024 (sábado) – Horário: 19h

Onde: Namastê Portal Ecocultural Lagamar – Endereço: Avenida Intermares, 435 – Boqueirão Sul – Ilha Comprida – SP

Quando: 16 de junho de 2024 (domingo) – Horário: 18h

Onde: Comunidade Quilombola do Mandira – Endereço: Estrada do Ariri s/n – Mandira – Cananeia – SP

Related posts

Na visão de Jorge Farjalla, “Álbum de Família”, de Nelson Rodrigues, é uma peça assombrosa

“Estrangeiro Reloaded”, atualiza clássico de Camus e peça de Guilherme Leme com muita força

“Arqueologias do futuro”: espetáculo mistura documentário e ficção para desafiar estigmas dos corpos pretos