6 filmes para assistir na 1ª Mostra de Cinema Haitiano no Brasil

Quando Caetano Veloso e Gilberto Gil compuseram a canção “Haiti”, nos fizeram refletir, por meio da arte, a respeito de questões sociais, através de uma analogia com o país caribenho, que sofre há anos com conflitos. E, ao final da letra, dizem: “o Haiti não é aqui”. Ao ouvir a frase, outras questões vigentes aparecem, principalmente relacionadas às situações vividas por imigrantes haitianos que sofrem ao chegar a um novo país.

Por esta ótica, o CCBB Rio de Janeiro recebe a 1ª Mostra de Cinema Haitiano no Brasil e apresenta uma oportunidade única de assistir a seis produções de cineastas do Haiti e do Brasil, entre longas, curtas, documentários e animação que tratam de exibir os conflitos sociais que acontecem no Haiti.

A mostra acontece em um momento em que o pequeno e populoso país caribenho se encontra mergulhado em uma crise política que reverbera na sociedade. Com curadoria dos haitianos residentes no Brasil Richemond Dacilien e Ismane Desrosiers, esta retrospectiva busca não apenas entreter, mas também provocar uma reflexão sobre o Haiti e sua diáspora, particularmente sobre os 161 mil haitianos que atualmente residem no Brasil. Os filmes selecionados são “Freda”, “Barikad”, “A batida não para”, “Terremoto”, “Cousine” e “Chache Lavi”.

Veja a programação completa aqui!

Conheça os filmes:

FREDA | Direção Gessica Généus | 74 min | Drama, longa-metragem

Classificação indicativa: 16 anos.

“Freda” é um olhar profundo sobre o futuro do Haiti. Nesse longa-metragem, a jovem cineasta haitiana apresenta imagens de Porto Príncipe que diferem dos desastres naturais retratados pela mídia internacional. Géneus celebra a juventude haitiana com um retrato feminino complexo. Ele conta a história de uma jovem, Freda, que vive com a mãe e a irmã em um bairro da classe trabalhadora de Porto Príncipe (Lalue). Diante dos desafios da vida cotidiana no Haiti, cada uma delas se pergunta se deve fugir ou ficar. Freda, o nome de uma divindade nascida da opulência e da sexualidade e a personagem principal do filme, quer mais do que tudo acreditar no futuro de seu país.

BARIKAD | Direção Richard Senecal | 2001 | 111 min | Drama, longa-metragem

Classificação indicativa: 16 anos.

Um dos dramas mais populares do Haiti nos últimos anos, Barikad combina sentimentos de amor e preconceito de classe. As barreiras mais intransponíveis não são aquelas que colocamos em nosso caminho, mas aquelas que impomos a nós mesmos por meio de nossos preconceitos, nossa intolerância, nosso desprezo pelos outros e nossa baixa (ou muito baixa) autoestima.

COUSINE | Direção Richard Senecal | 2006 | 106 min | Drama, longa-metragem

Classificação indicativa: 16 anos.

“Cousines”, é um olhar cativante sobre as tentações e escolhas que algumas pessoas têm de fazer para sobreviver no Haiti. O filme acompanha a vida de Jessica, uma jovem haitiana, cuja vida tranquila em Porto Príncipe é virada de cabeça para baixo pela morte repentina de seu pai. Sem ele para pagar as contas, ela logo se vê nas ruas. Mas Jessica é acolhida por sua amiga Johanne, uma mulher que tem uma vida de luxo graças à “generosidade” de seus muitos amantes. A história se passa nas paisagens exuberantes do Haiti.

TERREMOTO | Direção Gabriel Martins | 2022 |26min | Documentário

Classificação indicativa: Livre

Em 2010, o Haiti sofreu com um terremoto de grande magnitude que deixou mais de 300 mil mortos. Dentre as vítimas, estava a família de Nicolson e Niky Augustin, dois jovens haitianos. Tentando se reerguer nos anos seguintes, a família dos garotos não viu saída a não ser se mudar para o Brasil, mais especificamente para a periferia de Contagem, Minas Gerais. Ali, sem saber falar o idioma, eles tiveram que se adaptar a uma nova realidade e educar seus filhos.

Leia também: Surpreendente série de fotos retrata crianças ao redor do mundo com os seus brinquedos  

CHACHE LAVI | Direção Clementino Junior | 2023 |29 min | Documentário

Classificação indicativa: Livre.

Segundo o ACNUR, em torno de 161.000 haitianos moram no Brasil, a maioria chegou desde o terremoto que o Haiti sofreu em 2010. O documentário realizado por Clementino Jr. como parte do projeto de pesquisa MIDEQ, investiga os desafios enfrentados pelos migrantes no Brasil, além de seus sonhos.

UNSTOPPABLE BEAT (A BATIDA NÃO PARA) | Direção: Luke & Rufus Dye-Montefiore – Positives Negatives| 2023 | 6 min | Animação

Classificação indicativa: Livre

O filme conta a história de um migrante haitiano no Brasil que luta por seus direitos de trabalhar, comprar uma casa e, o mais importante, se reunir com sua família haitiana. Esta animação foi realizada como parte do projeto MIDEQ para refletir as dificuldades dos haitianos migrantes no Brasil. Disponível em português e crioulo haitiano.

Confira a programação completa, os horários dos filmes, bate-papo e performances em

https://peoplespalaceprojects.org.uk/pt/projects/1a-mostra-de-cinema-haitiano-no-brasil/ .

PROGRAMAÇÃO

Dia 18 de maio de 2024 – sábado

15h50 – Performance intro CLAMOR! (Área externa)

16h – Performance CLAMOR! (Área interna – Foyer do Cinema)

16h45 – Abertura (15min), Unstoppable Beat, de Luke & Rufus Dye-Montefiore (6min) Barikad, de Richard Senecal (1h51min) – [tempo total da sessão: 2h15min]

Dia 19 de maio de 2024 – domingo

13h45 – Performance intro CLAMOR! @ saguão (15min)

14h – Exibição curtas: Chache Lavi, de Clementino Junior (24min); Terremoto, de Gabriel Martins (18min). [tempo total da sessão: 42 min]

14h45 – Bate-papo com o diretor do filme Chache Lavi, Clementino Junior, o curador da mostra e pesquisador do MIDEQ, Ismane Desrosiers, o diretor artístico do CLAMOR!, Johayne Hildefonso, e da participante do CLAMOR!, Marie Florence Thelusma. Mediação do diretor da PPP do Brasil, Paul Heritage.

15h45 – Performance de encerramento CLAMOR! – saguão (40min)

Dia 23 de maio de 2024 – quinta

18h – Exibição Longa: Cousines, de Richard Senecal (1h46min)

Dia 24 de maio de 2024 – sexta

18h30 – Exibição Longa: Freda de Gessica Géneus (1h14min)

Dia 25 de maio de 2024 – sábado

16h – Exibição Longa: Cousines, de Richard Senecal (1h46min)

18h – Exibição Longa: Barikad, de Richard Senecal (1h51min)

Dia 26 de maio de 2024 – domingo

15h – Exibição curtas: Unstoppable beat, de Luke & Rufus Dye-Montefiore (6min); Chache Lavi, de Clementino Junior (24min); Terremoto, de Gabriel Martins (18min). [tempo total da sessão: 48 min]

16h – Performance intro CLAMOR! – saguão (15min) + Exibição Longa: Freda de Gessica Géneus (1h14min)

17h30 – Performance de encerramento CLAMOR! – saguão (40min)

Confira a programação completa, os horários dos filmes, bate-papo e performances

https://peoplespalaceprojects.org.uk/pt/projects/1a-mostra-de-cinema-haitiano-no-brasil/ .

Serviço:

1ª Mostra de Cinema Haitiano no Brasil

De 18 a 26 de maio de 2024

Classificação Indicativa: de acordo com cada filme

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro – Cinema I

Entrada Gratuita

Ingressos: distribuídos na bilheteria física ou no site do CCBB a partir das 9h do dia da sessão

Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro

Contato: (21) 3808-2020 | ccbbrio@bb.com.br

Mais informações no site do CCBB – bb.com.br/cultura

Siga o CCBB nas redes sociais:

x.com/ccbb_rj | facebook.com/ccbb.rj | instagram.com/ccbbrj tiktok.com/@ccbbcultura

Related posts

Cantora Joanna comemora 45 anos de carreira com show sutil, preciso e inesquecível

“Mar aberto”, de Caleb Azumah Nelson, provoca o protagonismo branco em histórias sobre sensibilidade, traumas e amor

Tudo que você precisa saber sobre as adaptações de “O Conde de Monte Cristo”