“Meu Avô Samantha”, de Clau Naoum e Bárbara Quintino: Celebrando a diversidade e a autenticidade desde a infância

Trazer para as famílias um debate sobre ser quem se é, sobre liberdade de expressão e acolhimento. Claudia Naoum e Barbara Quintino nos presenteiam com uma narrativa envolvente que abraça essa singularidade e nos leva a uma jornada encantadora no livro infantil “Meu Avô Samantha”.

Nesta obra, somos apresentados a um avô cativante, carinhoso e que encanta sua netinha com seu jeito único de ser. A trama acontece quando a peruca favorita do avô desaparece misteriosamente, deixando-o desolado. Determinada a devolver a alegria ao coração do avô, a netinha embarca em uma aventura para desvendar o paradeiro da peruca.

Leia também: Ilustradoras negras criam versão em quadrinhos do livro Quarto de despejo

Ao longo da história, somos levados a refletir sobre a diversidade, o desafio às convenções e a importância de aceitar as diferenças. “Meu Avô Samantha” rompe estereótipos ao apresentar um personagem que nasce com uma alma Drag Queen, destacando a beleza da autenticidade e a necessidade de celebrar quem realmente somos.

Com ilustrações cativantes e uma trama envolvente, o livro é uma ferramenta poderosa para educar as crianças sobre inclusão e tolerância desde cedo. A relação entre avô e neta é profundamente tocante, reforçando os laços familiares e ensinando valores de amor e aceitação.

Em meio a risos, mistérios e momentos de ternura, “Meu Avô Samantha” nos lembra que a vida é muito curta para não sermos nós mesmos, para não dançarmos, cantarmos e usarmos nossa peruca favorita. É um convite para celebrar a diversidade e abraçar a autenticidade, não importa quem somos ou como nos expressamos.

Sobre a ilustradora:

Olá, me chamo Bárbara Quintino, sou mineira, ilustradora e amante de um bom pão de queijo. Eu me encantei com o universo das cores e das texturas desde bem pequena junto com meu padrasto – era lápiz de cor, papel e giz de cera espalhados pela casa inteira, minha mãe que o diga. Quando grande, acabei me aventurando por diversos caminhos, mas foi fazendo faculdade de Arquitetura e Urbanismo que refiz as pazes com os desenhos. Ilustrar Meu avô Samantha foi um processo muito divertido de me aventurar, ficar de cabelo em pé e vibrar – tanto na procura e quanto nos encontros – tudo isso bem junta das personagens.

Sobre a autora:

Eu fui aquela menina que parava o que estivesse fazendo para ouvir uma boa história. E foi assim que comecei a criar as minhas próprias histórias, fosse no papel ou dentro da minha cabeça, só imaginando mundos diversos. Cresci no interior de São Paulo e me mudei para a capital quando fiz faculdade de Comunicação Social. Já trabalhei com muitas coisas, mas nunca deixei de escrever e foi em 2014 que lancei meu primeiro livro de Contos, para pessoas adultas. Depois disso, criei um projeto que se chama A História da Sua Vida, onde escrevo livros personalizados sobre a vida de pessoas reais, sejam crianças ou adultos. O universo infantil entrou com tudo na minha vida de uns anos pra cá e é nele que costumo mergulhar para trazer à tona narrativas mais lúdicas, divertidas e sensíveis, como o mundo deve ser. Os personagens que pedem para aparecer nas minhas histórias não são tão comuns de se ver por aí, mas eles existem aos montes e querem apenas ser quem são, seja nas páginas dos livros e na vida como ela é.

Mais sobre autora: Clau Naoum é formada em Comunicação Social com pós em Gênero e Sexualidade em contextos educacionais. Hoje atua como escritora, redatora e dramaturga. Escreveu (e escreve) livros infantis e adultos, peças de teatro e uma soma de livros personalizados (sob encomenda), além de dar oficinas de escrita criativa e palestras sobre diversidade e respeito às diferenças nas infâncias. Sua trajetória na literatura infantil sempre traz uma reflexão sobre inclusão, acolhimento e desafio às convenções. Dentre suas publicações para infância estão “Entre o alto do Céu e o fundo do Mar” (Ed. Metanoia, 2022), O Clube das Cartas Secretas (ed. Bamboozinho, 2023) e “Meu avô Samantha (ed. Saíra, 2023).

Compre o livro aqui!

Related posts

“Quando a inocência morreu”: romance de Estrela Ruiz Leminski busca história de avós desconhecidos

Tudo que você precisa saber sobre as adaptações de “O Conde de Monte Cristo”

“Elena sabe”: um retrato sobre o luto e a perda do controle do próprio corpo