10 artistas que foram ‘ressuscitados’ por inteligência artificial

Em comemoração aos seus 70 anos no Brasil, o comercial da Volkswagen, que protagonizou o dueto entre Elis Regina e Maria Rita cantando Como nossos pais, de Belchior, reacendeu a discussão sobre os limites dos usos de recursos relacionados à inteligência artificial (IA).

Leia também: 10ª Sinfonia de Beethoven foi finalizada por Inteligência Artificial. Ouça aqui!

Vale destacar que, mesmo com todas as problematizações e independente da preferência de cada um, a propaganda da Volks tem variadas camadas que podem ser utilizadas para a discussão: mercado, marketing, memória, canção, cultura, tradição, modernidade, ditadura, deep fake, ética, paradoxo, anacronismo, entre outras.

Ainda no mês passado, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (CONAR) instaurou um processo para análise do anúncio, após clientes questionarem se é ético ou não trazer pessoas falecidas de volta à vida com o uso de IA, como é o caso de Elis, ícone da MPB, que morreu em 1982.

A utilização desses recursos, no entanto, não é inédita. Vários outros artistas já foram recriados por meio de IA. Confira outros exemplos:

Paul Walker
O autor faleceu durante as gravações do filme “Velozes & Furiosos 7“, em 2013. Para aproveitar as cenas já gravadas, a produção resolveu recriar o personagem por meio de computação gráfica.

Roberto Bolaños
A imagem do mexicano Roberto Bolaños, intérprete de Chaves, falecido em 2014, foi recriada para uma propaganda do canal DishLatino. Ele ressurge caracterizado como o personagem e conversa com o ator Eugenio Derbez.

Marilyn Monroe
A imagem da atriz, inserida com a ajuda da computação gráfica, ressurgiu para a propaganda do perfume J’Adore, da Dior, em 2011. Na campanha publicitária, ela recebe o perfume de Charlize Theron. Além de Marilyn, Charlize Theron interage com as atrizes Marlene Dietrich e Grace Kelly, também já falecidas.

Brandon Lee
Após o acidente durante as gravações de “O Corvo“, em 1994, o ator foi baleado e morreu. O rosto de Brandon foi sobreposto digitalmente ao corpo de seu dublê, Chad Stahelski.

Peter Cushing
O ator de “Guerra nas Estrelas” (1977), que morreu em 1994, ‘ressuscitou’ 22 anos depois no filme “Rogue One – Uma História Star Wars” (2016). Novamente, o rosto do ator foi sobreposto digitalmente ao de um dublê.

Mussum
O comediante, falecido em 1994, ressurgiu em uma propaganda da Volkswagen para anunciar o lançamento do novo Fusca em 2013.

Audrey Hepburn
Falecida em 1993, a atriz Audrey Hepburn foi recriada para uma propaganda de chocolates Dove após 20 anos de sua morte. No vídeo, ela está dentro de um ônibus na Itália e tira um chocolate da bolsa. O vídeo foi feito por uma dublê e o rosto da atriz foi digitalizado por meio do sistema de codificação de ação facial com a utilização de diversas técnicas para que ficasse mais verossímil.

Fred Astaire
Fred Astaire, que havia morrido anos antes, estrelou uma campanha de aspiradores de pó da marca Dirt Devil em 1997. A cena refere-se a uma dança no filme “Royal Wedding”.

The Beatles
Após 40 anos, a capa do disco Abbey Road, dos Beatles, foi recriada para uma campanha publicitária do jogo de videogame The Beatles: Rock Band. O vídeo foi feito com imagens antigas e computação gráfica.

Luiz Gonzaga
No mês passado outro caso foi notícia: João Gomes cantou com Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, que faleceu em 1989. Foram dias de preparação para recriar a imagem que reproduzisse tanto o visual quanto a voz do artista.

Fonte
Fonte
Fonte

Related posts

Quem são os “Barbatuques”: grupo de percussão corporal que transformou a arte educação no Brasil?

5 livros para celebrar a vida e a obra de Frida Kahlo!

Conheça Rezende, o homem por trás do consagrado Instituto Candelaio