“Faminta”: peça une gula e luxúria em mulher em busca de novas experiências

Cineasta, atriz e contorcionista, Natasha Jascalevich faz sua estreia como autora teatral em seu primeiro solo: “Faminta”. Com direção de Duda Maia, o espetáculo parte da ligação entre a gula e a luxúria para relatar histórias de uma mulher que anseia por novas experiências, descobertas e prazeres.

O solo “Faminta” passeia por múltiplas linguagens: teatro, dança, música e circo contemporâneo – sendo este último uma parte importante na trajetória de Natasha. Formada em contorcionismo e acrobacia aérea pela Escola Nacional de Circo, a artista explora essas habilidades em cena, dando ao texto contornos ainda mais oníricos. O cenário criado por Miti também colabora para imprimir o tom fantástico da narrativa. Um enorme plástico vermelho se desdobra em diferentes formatos e tamanhos, revelando e escondendo a atriz em cena.

Leia também: “O Veneno do Teatro”: texto de Rodolf Sirera mostra que o teatro ainda é metáfora para o mundo

Em cena, histórias independentes têm em comum uma mulher guiada pela gula e a luxúria: em uma delas, uma mulher se apaixona por um açougueiro, que a trata com amor e violência e se transforma num porco no decorrer da relação; em outra, a personagem tem uma noite de amor com um peixe, sendo um desdobrando do curta-metragem para o teatro.

“As histórias não se conversam, mas todas partem desse universo da comida e do prazer”, diz Natasha.

Para Duda Maia, dirigir “Faminta” é ter a possibilidade de homenagear a grandeza feminina. “É poder falar intensamente sobre prazer, denúncia e liberdade de forma lúdica e poética. É uma crítica performática que pretende provocar reflexões sobre uma sociedade essencialmente machista que precisa ser diariamente alertada e repensada”.

FICHA TÉCNICA

Texto e atuação: Natasha Jascalevich

Direção: Duda Maia

Direção assistente: Juliana Medella

Direção musical e trilha sonora original: Azullllllll

Cenário e figurino: Miti

Luz: Daniela Sanchez

Programação visual: Patricia Clarkson

Assessoria de imprensa: Paula Catunda e Catharina Rocha

Direção de produção: Aliny Ulbricht e Raissa Imani (Kawaida Cultural)

Idealização: Natasha Jascalevich

SERVIÇO

Espetáculo: “Faminta”

Temporada: de 1º a 23 de junho de 2024

Local: Sesc Copacabana – Sala Multiuso.

Dias e horário: De quinta a domingo, às 19h.

Ingressos: R$ 7,50 (associados do Sesc) |R$ 15,00 (meia entrada)

R$ 30,00 (inteira)

Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana

Informações: (21) 2547 0156

Horários da bilheteria: De terça a sexta-feira, das 9h às 20h.

Sábado e domingo, das 14h às 20h.

Classificação: 14 anos. Duração: 50 min. Capacidade: 45 lugares

Instagram

@faminta__

@natashajascalevich

Related posts

“Florilégio”: espetáculo do Grupo Pombas se inspira no verbo “esperançar” de Paulo Freire

“Amor de Baile”: peça celebra o movimento Black Rio dos anos 70

“O Veneno do Teatro”: texto de Rodolf Sirera mostra que o teatro ainda é metáfora para o mundo