“Mátria”: piauiense Laís Romero retrata feminino na poesia enquanto território

Quem são as mulheres, que devido ao corpo que carregam, seguem invisibilizadas? É o que questiona a escritora, revisora, editora piauienseLaís Romero (@a_laisromero) em seu novo livro “Mátria” (Editora Paraquedas, 84 pág.), que amplifica temas que perpassam como corpo, ancestralidade, feminismo e maternidade.

“Mátria” é um livro-corpo que se divide em três partes: Desejo, Mátria Pathos. Como o próprio título sugere, trata-se de uma busca pelo lugar de expressão da mulher. Não qualquer mulher, uma mulher que tem um corpo, uma origem, um país, uma mátria, nordestina e singular. A partir do seu desejo, da ancestralidade que remonta a Lilith, aquela que renunciou a um suposto paraíso, Laís mergulha na materialidade de ser mulher para encontrar enfim seu  pathos, sua capacidade de comover e afetar a nós, leitores, com sua poesia.

Na obra, a autora convida a atravessar a pele-papel que a separa do mundo, mas que também serve de superfície para explorar sua poesia, sua língua, sua escrita e seu bordado. O silêncio, o cansaço e a sensação de fracasso servem de subtexto e impulsionam o seu desejo; o desejo, já realizado, de ser artista, de ter o próprio corpo como matéria-prima de sua arte, um corpo que flutua, que dança, que resiste, que faz poesia.

“Não penso em mensagens, mas em imagens. Uma visão de como a mulher conjuga os verbos enquanto sujeito é o que pretendo comunicar de maneira direta e pontual”, aponta a autora.

Deste modo, “Mátria” também traz um coro de mulheres poetas como referências principais, tais como Ana Cristina César, Matilde Campilho, Maya Angelou, Renata Flávia, Cecília Meirelles e Sophia de Mello Breyner Andresen.

Leia também: O protagonismo das mulheres que editam livros de mulheres

Sobre a poeta Laís Romero

Nascida em 1986, Laís Romero nasceu, cresceu e reside em Teresina, no Piauí. É mãe do Luís e do Júlio. Possui mestrado em letras pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e especialização em escrita e criação pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Atualmente, trabalha como revisora e editora. Possui poemas e textos literários em diversas antologias e revistas.

Laís também se destaca por sua trajetória acadêmica. Formada em Letras e Mestre em Literatura, a escritora também atuou como professora de Língua Portuguesa no Instituto Federal do Maranhão e como professora substituta de Literatura no curso de Letras/Libras na UFPI. Desde 2022, cursa bacharelado em Medicina.

Confira um poema do livro “Mátria”, de Laís Romero:

Mátria

Meu corpo encontrou um ritmo

meu corpo abrigo

país dos meus filhos

meu corpo ferido frio

corpo dormindo

capataz dos meus delírios

corpo vasto território

corpo de corte e tintura

mapa em relevo da dor

meu corpo sereno

corpo, pelos e suor

meu corpo diz e asseguro

estar a caminho

no presente

e nos medos multiplicação

Meu corpo aberto e preciso

Coragem, eu insisto

Adquira “Mátria”, de Laís Romero, pelo site da editora Claraboia:
https://www.lojadaclara.com.br/produto/matria-lais-romero.html

Related posts

“Dentes de leite”: conheça os contos insólitos de Antonio Pokrywiecki

“Anna O”: o livro de Matthew Blake que virou sucesso e vai ser adaptado pela Netflix

Círculo de Poemas lança “Quadril & Queda”, de Bianca Gonçalves, e “Palavra nenhuma”, de Lilian Sais