Marcel Marceau, o mímico que salvou centenas de crianças na Segunda Guerra

Marcel Marceau é considerado até hoje o maior mímico de todos os tempos. O artista que se consagrou numa das artes mais complexas do mundo, porém, teve também uma história heroica durante sua juventude. De família judia, Marcel desde sempre se apresentou em cabarés, contra a vontade de seu pai, que queria que ele seguisse a profissão de açougueiro.

Porém, com o crescimento do antissemitismo e o avanço do nazismo na Europa, Marcel se envolveu no cuidado e acolhimento de crianças que ficaram órfãs por conta da guerra. Ele usava seu talento para a mímica como forma de entreter os pequenos, confortá-los, e, acima de tudo, mantê-los em silêncio, o que era fundamental para que as patrulhas alemãs não os capturassem. 

Leia também: 10 fatos interessantes que você não sabia sobre William Shakespeare

As crianças adoravam Marcel e se sentiam seguros com ele. As crianças tinham que parecer que estavam simplesmente indo de férias para uma casa perto da fronteira com a Suíça, e Marcel realmente os deixou à vontade”, relatou o primo do artista, George, em uma entrevista ao Jewish Telegraphic Agency no ano de 2007, quando o mundo lamentava a morte do mímico aos 84 anos de idade. 

Diretamente, Marcel se juntou a resistência judaica francesa e ajudou a salvar a vida de cerca de 70 crianças judias das mãos dos nazistas, conduzindo-as em grupo até a fronteira com a Suíça. Eles montaram uma espécie de rede de fuga em que as crianças se vestiam de estudantes e iam de trem até próximo à fronteira. Aos poucos essa rede se estabeleceu e indiretamente, o sistema de retirada das crianças propiciou a salvação de centenas de crianças.

Infelizmente, seu pai, um grande homem que se tornou cantor ao perder tudo com a invasão da França pela Alemanha, foi enviado para Auschwitz e foi assassinado em 1945. Você pode ver a história de Marcel através do filme Resistência, disponível na Netflix.

Veja o trailer do filme Resistência, sobre a vida de Marcel Marceau aqui:

Durante a Segunda Guerra Mundial, um dedicado grupo de escoteiros judeus trabalharam com a resistência francesa para salvar a vidas de dez mil órfãos. Entre os participantes da causa, estava Marcel Marceau (Jesse Eisenberg), o mímico mais popular da pós-guerra. 

Related posts

Companheiro Lula: Por que só a retórica não é suficiente na questão Palestina?

O caso Andy Murray: o que a arte pode aprender com o esporte?

O absurdo caso de racismo sofrido por Lupicínio Rodrigues em Porto Alegre